São Capturas todos os olhares …

Série JANELAS

“Pode Entrar“ – Por Nádia Jung

NADIA jUNG- CACHAÇARIA MACAUVA

Na cachaçaria Macaúva, lugar que falo mais adiante!


Série Fachadas e Janelas – Por Nádia Jung

NaJung_

Eu estou participando do projeto de uma planta em Bento, e me empenhando, pois será quem sabe um dia ainda minha futura residência. Assim eu fico a olhar as janelas, as demolições servem-me de canal para alguma criatividade, palavra essa que não julgo confiável, mas que enfim, na falta de uma que se anexe aqui, vai essa mesmo!

E´bom ver o descontruído … Assim menos trabalho para imagina-lo se existe!Eu acho importante as criações, como desses detalhes.
Enfim, já colecionei tantas coisas absurdas por que não isso agora?

“Pode Entrar“ – Por Nádia Jung –


“Grades“


Adorável.

Nadia Jung


Cumplices do Olhar!

Gosto do enquadramento, da visão de janela que proporciona essa linguagem de cumplicidade do vinho. Essas “janelas“ me sorriem de uma forma que não posso deixar de parar de olhar, e parar de registrar.
Momentos …
em recortes!


Ela fez-se ao Sol

” Depois da chuva essa fachada, para mim brilhou …Ela fez-se ao Sol”

Jardim Europa- São Paulo/BR


” alegria da composição ” – Cartier-Bresson

‘’É preciso esquecer-se, esquecer a máquina… estar vivo e olhar. É o único meio de expressão do instante. E para mim só o instante importa… e é por isto que adoro , não diria a fotografia….mas a reportagem fotográfica, ou seja, estar presente, participar, testemunhar, com a alegria da composição e evitar a anedota. Ao mesmo tempo, não podemos ficar esperando pela grande fotografia. Há muito o que descascar. É um presente que nos é oferecido, mas é uma ação do acaso e é preciso tirar proveito dele… ele existe. É a vida, e ao mesmo tempo, a morte… porque desaparece, acaba. Há algo de mórbido na fotografia. Não é raro uma foto que possamos olhar por mais de um instante que passe uma emoção.’’

Henri Cartier-Bresson


‘A Caverna de Platão’

O mito da ”Caverna de Platão ” conta uma história sobre algumas pessoas acorrentadas no fundo de um caverna , de modo tal que não podem se virar para a sua entrada. Na parede do fundo são projetadas SOMBRAS, feitas por outros homens.Essas sombras e os sons são tudo que ecoam pelas cavernas são tudo oque esses prisioneiros conhecem sobre o mundo.Supondo que um desses prisioneiros seja liberto, ele verá que essas sombras são feitas por Homens, sairá da caverna e conhecerá o mundo e a natureza ‘humana’ …
Se este homem agora LIVRE, voltar para a caverna e contar o que viu para seus amigos companheiros, será tido COMO MENTIROSO,ALUCINADO,LOUCO.
Será ignorado ou até mesmo ameaçado ou morto pelos antigos companheiros que estariam defendendo a verdade, a qual para eles NÃO PASSA DE SOMBRAS.

Muita ”gente” estão como os prisioneiros da caverna. Enxergam apenas sombras de um mundo muito maior. Ficam presos a imaginação crente e fechada, na qual acredita-se piamente, como verdade ÚNICA e …Enfim , alguns ”amigos” impressionam-se com SOMBRAS mas não CONSEGUEM ver o que realmente acontece ”lá forá”…
Basta OBSERVAR os grupos, foruns, listas …
Quando alguem resolve deixar tudo isso de lado e concentrar-se em SI, a hostilização manisfesta aponta.


Série Janelas

Série Fachadas e Janelas –
Montpellier-FRANÇA


”O de sempre”

Participando da fachada,” O Gato ” : fazendo o ”de sempre” .

Nádia Jung


”Janelas” – Vila Mariana – Nádia Jung

Bairro – V.Mariana
São Paulo/BraZil


S´rie JANELAS


Série JANELAS – Janelas daquela Terra


JANELAS …
Naturalmente que fiz aqui uma janela fazendo usufruto dessa abertura , entre galhos pode-se avistar a praia no fim…
Collioure/FR


Série Janelas

“Não são extamente janelas, são caminhos que nos levam … “
Ainda bem que nessa `viajem` eu estava acompanhada .


Imagem

S´rie OUTROS `Olho`